O tucunaré

O TUCUNARE

    Cichla s.p.p da familia dos cichlidaes

  cichla temensis ( tucunaré paca) do rio Negro ( Brasil)

Também chamado de peacock-bass pelos anglófonos, pavon na Venezuela e Colômbia, o tucunaré e representado por pelo menos 15 variedade indexadas na América do Sul ( estudos ictiologicos dos cientistas Efrem Ferreira e Sven Kullander). Em realidade, haveria apenas cinco espécies. Os outros seriam o resultado de adaptações cromáticos ao meio ambiente ou mas simplesmente híbridos.

grande "açu" ( cichla temensis) do rio Itapara

O mais conhecido e também cobiçado é o tucunaré açu ( literalmente em língua tupi: grande tucunaré), de seu nome cientifico: cichla temensis, cujo corpo é amarelo/verde listrado de preto. Também é a maior espécie que pode provavelmente atingir 30 libras.

cichla vazzoleri  do rio Nhamunda ( Brasil)

O tucunaré paca cuja roupa escura é manchada de linhas quebrada brancas com a do roedor da selva amazónica chamado do mesmo nome de "paca". De acordo com os especialistas, também seria um cichla temensis podendo atingir um peso tão alto quanto o açu. E o mais feroz brigador de todos os cichlidaes. 

Segundo alguns cientistas, o açu e o paca seria o mesmo peixe revestido da cor escura( paca) por razoes de mimetismo no cheio para caçar no igapo, e revestido de cor amarela ou dourada perto dos periodos de reproduçoes. Teoria que deve ser verificada....


Cichla vazzoreli  e thyronus, muitas vezes confundidos com cichla temensis, o famoso tucunaré açu. A principal diferença, alem do tamanho maior de cichla temensis, fica nas tres listras do corpo que no caso destas duas especies são em realidade manchas compridas. O peso maximo de cichla vazzoreli e thyronus  pode atinge umpeso elevado, acima de 20 libras. Estes dois tucunarés se encontam principalmente na bacia do rio Trombetas/ Nhamunda. Cichla pinima, também muito parecido aos dois precedentes, mas atinge apenas 14 libras. Se encontre essentialmente na bacia do rio Madeira, Tapajos, e em alguins rios do estado de Amapa..




    grande cichla tyrosus do alto rio Trombetas


O tucunaré amarelo ( cichla monoculus): o mais frequentemente encontrado na bacia amazónica, de corpo amarelo/verdeado com só um ocelo no rabo. O peso dele não ultrapassa 12 libras em teoria.

O tucunaré real ( cichla intermedia), o mais raro: especifico das bacias dos rios Negro e Orenoco, principalmente nas correntes das partes altas destes dois rios. Nunca pesa mais do que 10 libras.

cichla ocellaris (  tucunaré borboleta variante) do Rio Maroni ( Guiana Francesa)


O tucunaré borboleta variante ( cichla ocellaris) cujo corpo e manchado de varias ocelos como o sugere o nome cientifico dele. Muito frequente no Suriname, na Guyana e no rio Maroni da Guiana Francesa. Pode atingir 12/13 libras. Também foi introduzido nos canais da Florida e no Havai.

Tucunaré borboleta ( cichla orinocensis) cujo corpo é manchado de três ocelos característicos. Sem duvida o mais bonito. Peso máximo  teórico: 10/12 libras. Endémico das bacias dos rios Negro e Orenoco.

cichla orinocensis ( tucunaré borboleta) do rio Negro ( Brasil)


O tucunaré azul ( cichla piquiti ) cujo corpo é listrado de preto azulado. Principalmente encontrado no sul  da Amazônia, particularmente na bacia do Araguaia Tocantins. Pode atingir 12 libras. Cichla Kleberti, muito parecido ao tucunaré amarelo, presente na mesma bacia e largamente introduzido nas barragens do Nordeste e do sul do Brasil.

cichla piquiti ( tucunaré azul) da bacia do rio Tocantins


O tucunaré se encontra em águas de pouca profundidade em geral, muito entulhadas de restos de árvores e pedras, e geralmente em todas partes onde os rios se tornam mais largos. Em efeito quanto mais se alarga o rio, menos profundo. As bocas de lagoas e pequenos afluentes também são otimos lugares, como são as beiras de qualquer tipo de mato inundado. Ao final da estação das chuvas, num período chamado de "quebrada da agua", quando o nível da agua começa a baixar, o tucunaré é encontrado alimentando-se barulhentamento na orla do igapô. E o tempo  para  os peixinhos e outras presas potenciais deixarem a floresta inundada que esta vazando, para voltarem nos rios e lagos.

A  pesquisa do tucunaré com poppers e streamers com linhas adequadas em função da temperatura e do nível da agua é simplesmente fascinante. Com um comportamento bastante semelhante ao dos centrarchidaes, o tucunaré será seduzido pelas técnicas utilizadas pelo " mosqueiro" para o black-bass. Todavia  ele terá que  "vitaminizar" a potencia do seu material . Em efeito, o tucunaré é o diabo em pessoa, e uma vez fisgado, ele tentara utilizar todos os metodos imprevistos e oportunidades, sejam as mais finas para nos oferecer uma brilhante demonstração dos limites do nosso material.


    cichla pinima da bacia do rio Madeira



O tucunaré e bem conhecido e famoso por seus espectaculares ataques das iscas de superfície. As vezes, se trata de verdadeiras explosões que levam o nível da adrenalina no auge. Na verdade, nada é mais lindo e emocionante para um mosqueiro do que assistir a este fenomenal assalto sobre um Popper judiciosamente expedido e animado em um lugar esperado.

Mas, este tipo de ataque é longe de ser uma generalidade: na pesca com streamers, por exemplo. Em efeito, temos assistido varias vezes, em águas transparentes, que a pegada da mosca foi um simples ato de predação, sem nenhuma agressividade que poderia se comparar à tomada de uma ninfa por uma truta. Um streamer é raramente considerado pelo tucunaré como um intruso,  mas como uma presa potencial perdida fora do seu habitat, embora que um popper com o seu barulhento e perturbador nado, o seu volume, a sua aparência anormal é assimilado pelo predador a uma verdadeira  agressão territorial que deve ser imediatamente eliminada ou pelo menos bota fora de uma área onde ele não deveria permanecer.

O material

A vara: n° 8/10, segundo o tamanho médio dos peixes da região, e também para realizar os longos e precisos arremessos com moscas volumosas e poppers necessários para atingir os locais certos. Mas, ainda prefere uma robusta vara de 10. Mesmo se o cichla temensis ou tucunaré açu esta ausente do setor, é claro que um " pequeno" peixe de 8 a 10 libras é capaz de explodir facilmente um lider de 20 lbs, até mesmo uma vara numa violenta arrancada. Mas se você tiver apenas uma vara de 8 para enfrentar tais demónios, você se arrisca a sofrer alguns problemas. Assim, não hesite em pescar " duro", de acordo com as circunstâncias. Quando estamos realmente a procura do máximo de diversão,  não devemos hesitar em usar  um robusto 30 a 40 Lbs de fluorocarbon. E as vezes, esta precaução  apenas basta... Algumas experiências com os " bocudos" do Rio Negro ensinam-nos a se dar conta da incrível potencia destes magníficos peixes. 

a carretilha: você precisa de um bom modelo do tipo baby-tarpão/permit, com um suave e poderoso freio a disco para evitar a quebra do tippet ou mesmo da vara consequentemente a um violento " rush".

as linhas: o numero da linha sera adaptado à potencia da vara.  Para facilitar o arremesso de moscas de grande porte, alguns mosqueiros utilizam um numero mais de linha.

flutuante: para o streamer e o Popper, em aguas normais ( nem alta, nem baixas demais)

intermediate: para o streamer quando a agua esta um pouco alta

flutuante com ponta afundante de alta densidade ( 200/300 gr) : para aguas um pouco altas do inicio da estação seca ou ao contrario, de aguas ultra baixas e quentes quando o peixe se refugia nas profundidades a procura de frescura.

Uma boa linha de uso geral para a pesca do streamer é um modelo flutuante com ponta "intermediate" transparente.

 

cichla ocellaris do Suriname


A técnica:

A técnica consiste em uma exploração sistemática de todos os esconderijos possíveis: madeira afundada, árvores caidas, estruturas rochosas, vegetação da beira, mato inundado, etc. Acorde sempre preferência às profundidas de 2 à 3 metros. Insista particularmente nas bocas de pequenos affluentes, igarapés, lagoas que são areas privilegiadas de caça de peixes grandes.

A gente em geral acha que o ataque do tucunaré vai ocorrer imediatamente ou nunca, tanto a reputação de extrema agressividade  deste peixe é grande. Mas, apos ter observado durante inumeraveis oportunidades o comportamento do tucunaré diante de nossas moscas,  podemos comprovar que isso não é sempre a verdade. Em realidade, é frequentamente na terceira, quarta, mesmo quinta apresentação do streamer que nosso tucunaré se decide, apois ter fingindo uma absoluta indiferênça. Assim, insista sobre um lugar que lhe inspira. Sua perseverência sera frequêntemente recompensada.

Outra estrategia que também da bons resultados: tirar partido dos falsos arremessos, deixando a mosca tocar ou mesmo bater a superficie no arremesso da frente, proximo ao desejado alvo, antes do ultimo chute. Esta tatica tem por efeito  despertar a atenção do tucunaré que é um peixe muito curioso. Apos o seu streamer ter batido a agua varias vezes, deixa-lo afundar um pouco e começe a recupera-lo rapidamente com curtas pausas. O tucunaré atraido pelo barulho, surge fora do seu esconderijo para saber a natureza deste et talvez...

Também temos observado os nativos de certos rios amazônicos, agitando a agua com a ponta da vara ou com a mão, imitando assim o barulho da fuga dos peixinhos perseguidos por um predator. En seguida, so tem que arremessar a isca o mais longe possivel e recupera-la segundo uma animação em "dentes de serra". Os resultados são tão surprendentes quanto o material  rudimentar. Sempre é bom observar os pescadores locais. As suas tecnicas ancestrais certamente tem boas razões de ser. Porque não  inspirar-se delas?

As moscas: virtualmente, todos os modelos de streamers e poppers são bem aceitados pelo tucunaré ainda pouco pescado com a mosca. Mas, de prioridade ao tamanho das imitações. Em efeito o lema: " mosca grande, peixe grande" encontra neste caso toda a sua ilustração. O tucunaré tem "os olhos maior do que a barriga", e até os tucunarezinhos não hesitam em atacar um streamer volumoso.

mosca gigante para bocudões

Os poppers são geradores de ataques explosivas.  Eles são Também uma das melhores maneiras de pegar os grandões. Em efeito, pouco pequenos tucunarés são capturados com poppers.

cichla mirianae do alto rio Xingu


 

Page lue en 0,0237 seconde (5/0)